Capítulo 1 – Helena

Uma coisa eu tenho certeza: metade das coisas é realidade, outra metade é ilusão. Eu aprendi numa oficina literária que todo escritor só é livre para escrever a primeira frase. Tudo o que vier depois dependerá dessa primeira frase. Eu não sei até onde isso é verdade ou ilusão para quem escreve um romance, um … Continue lendo Capítulo 1 – Helena

Canção das horas

No livro “A música do homem”, de Yehudi Menuhin e Curtis Davis, há uma frase: “a música é um veneno de efeito secreto”. Mas a música é feita por alguém. Compositores, arranjadores, instrumentistas e cantores transportam a música de um lugar ao outro, de uma época à outra, de uma alma à outra. Certa vez, … Continue lendo Canção das horas

Saudade sensacional

Eu acordei com a luz do sol na janela. O mês de maio começou. Meu quintal faz parte de uma reserva ambiental. Além das árvores, há um riacho e com oito minutos de caminhada pelo riacho chega-se a uma cachoeira. Pequena, mas sonora, espumosa, revitalizante. A cerca de quinze quilômetros está o centro de Brasília. … Continue lendo Saudade sensacional

Gentileza gera gentileza

No facebook do meu amigo de infância tem foto na Disney, foto dos filhos, foto na praia do Rio de Janeiro, foto de lasanha, sushi e caipirinha, fotos dos pais (que saudade), fotos das três irmãs (ai ai…), foto com o sambista Marcelo Guimarães, foto com o lateral esquerdo do fluminense e da seleção brasileira … Continue lendo Gentileza gera gentileza

Meias palavras

 — Oi.  — Oi.  — Tudo bem?  — Tudo bem.  — Eu sou do tempo em que era feita à mão.  — Eu fui feita nas fábricas da China.  — E quando você descobriu sua existência?  — Ah, eu fui crescendo, crescendo e vi que no início eu era apenas um novelo de linhas dentro de um cesto.  — Eu não tive essa sorte. … Continue lendo Meias palavras